Utilizamos a expressão “bancar o cupido”. Vemos vários desenhos dele em cartões e decorações do Dia dos Namorados. Mas quem é ele? Venha conhecer a história do Cupido, a figura mitológica que faz os casais se apaixonarem.

Estátua do cupido com arco e flecha em um jardim, de fundo há uma estátua de carruagem com flores de ornamento.
É interessante conhecer os mitos de nomes tão usados por nós. (Reprodução/Adobe Stock)

A origem

Você já deve ter visto em algum lugar a imagem de um garoto de fraldas segurando um arco e flecha, e identificado ele como “Cupido”. Bom, estou aqui para te contar de onde ele surgiu.

Na mitologia romana, o Cupido é filho de Vênus, a Deusa do amor e da beleza. Seu nome vem do latim “cupere”, que significa “desejar”.  Enquanto isso, na mitologia grega seu equivalente é o Eros e sua mãe, a Afrodite.

Independente da versão, ele era visto como inconsequente, muito bonito e mimado. O que pode explicar sua figura infantil. No entanto, o que sabemos é que essa visão dele sendo pintado como um bebê anjo começou entre os séculos XIV e XVII. E é assim, que continuou a ser retratado nos séculos seguintes em cartões de Dia dos Namorados.

Outro ponto, é o porquê dele ser retratado sem roupas. A primeira hipótese é uma romântica, de que o amor não tem nada a esconder. A segunda, é um pouco mais realista. Conforme o site Congresso em Foco, os “artistas buscavam com a representação do nu (…) a revelação do divino. Eles viam nas formas do corpo humano a mesma beleza e a mesma harmonia que encontravam na natureza e no cosmos”.

Ademais, em relação as suas flechas, ele costumava usar dois tipos: a de ponta de ouro, que causava amor em quem era flechado, e a de ponta de chumbo, que causava a repulsa. Ele as mirava tanto em humanos, como em Deuses.

Pessoa segurando um cartão com coração em alto-relevo dentro, no fundo há flores rosas.
O Cupido representa o amor e o desejo entre duas pessoas.(Reprodução/Pexels)

A Psiquê

Algum tempo depois, quando Cupido já era um homem jovem, Vênus descobriu sobre uma garota mortal chamada Psiquê. Ela era a mais jovem das três filhas de um casal de reis e a única que não tinha se casado. Porém, era linda e estava chamando muita a atenção dos homens, que começaram a adorá-la ao invés de Vênus.

Então, chateada por ser deixada de lado, Vênus pede para Cupido fazer essa garota se apaixonar por um monstro. Ele concorda, mas ao ver a beleza de Psiquê acaba ficando tão surpreso que acidentalmente se acerta com uma de suas flechas de ouro e se apaixona por ela.

Existem versões diferentes sobre o que acontecem depois disso. Em uma delas, eles se casam, e ele pede para que ela nunca olhe para ele. Visto que, por ele ser uma divindade e ela uma mortal, ela poderia ser afetada de alguma forma. Contudo, as irmãs dela ficaram a instigando a olhar. Até que ela olha para ele, que fica enfurecido de ter sido desobedecido e vai embora.

Portanto, Psiquê vai até Vênus perguntar como reconquistá-lo. A qual dá a ela várias tarefas para cumprir. A partir daí, ela vive uma série de eventos inoportunos para provar seu amor ao Cupido e ganhar seu coração de volta.

A última tarefa deveria ser impossível para uma mortal cumprir. Ela consistia em ir até o submundo e pegar a pomada da beleza de Perséfone. Entretanto, Psiquê conseguiu. Mas ela não resistiu a vontade testar a pomada, para ver se funcionaria nela. Ao abrir ela caiu em uma sonolência mortal.

Logo depois, Cupido ficou sabendo da situação e foi resgatá-la. Ele a perdoou e sua mãe também.

Os Deuses, movidos pelo amor de Psiquê por Cupido, a curaram e fizeram dela uma Deusa. Atualmente, ela é entendida como uma divindade que é a personificação da alma.

Mulher de vestido curto rosa sentada na cama, sua mão repousa em cima de um buquê.
Cupido viveu sua história de amor com Psiquê. (Reprodução/Pexels)

Por fim, Cupido já foi a representação do amor para os romanos e gregos e hoje também é para nós, sendo muito presente no Dia dos Namorados. Inclusive, caso queira entender melhor a história do Dia dos Namorados, há um artigo aqui no blog sobre, é só clicar aqui para ler.

O que achou da história do Cupido? Me conta nos comentários.

Deixe uma resposta