Alguns assuntos andam aparecendo com frequência no dia-a-dia, como debates sobre comportamentos tóxicos, empoderamento, etc. Todos eles levam a conclusão de que devemos nos entender melhor, amadurecer e cuidar mais de nós mesmos. Para isso, precisamos saber quem somos de verdade, quais foram nossas atitudes boas e ruins, e claro, aprender a se amar, ou seja, é preciso desenvolver uma boa autoestima. Pois, a autoestima vai além da aparência, tem a ver com se valorizar. E quando ela está baixa, afeta como agimos e tratamos não só a nós mesmos, mas o outro também. Desse modo, o tópico de hoje é como a autoestima afeta o relacionamento amoroso.

Mulher chateada de cabelo curto e blusa de gola alta preta olhando de lado. Atrás há um pequeno espelho de parede e uma planta.
A autoestima afeta como você se vê e consequentemente, como vê o outro. (Reprodução/Pexels)

Por isso, vamos ver características de uma baixa autoestima que afeta um relacionamento. Logo em seguida, algumas dicas de como melhorar essa situação.

Sinais para prestar atenção

1- Não expressar suas necessidades

Se você tem dificuldade de pedir ajuda aos outros, com medo de estar sendo inconveniente  e se sentindo um “peso”, é um sinal para você prestar atenção. Pois, quer dizer que você não acha suas necessidades tão importantes quanto a dos outros.

Isso pode ser um problema em um relacionamento. Visto que, se você não expressar suas vontades e dificuldades, o outro não tem como saber. O que faz o relacionamento ficar desbalanceado, onde só um é atendido e ouvido. E não precisa ser assim.

2- Sensibilidade

Uma tendência quando se têm baixa autoestima é levar cada situação para o lado pessoal. Por exemplo, se seu parceiro pede para ficar um tempo sozinho e você se sente rejeitada ou machucada. O que, inclusive, pode levar a uma discussão e fazer você se sentir mais culpada ainda.

Assim, a melhor opção é esperar o tempo que ele pediu e conversar. Para então, entender os reais motivos, se são pessoais ou se tem a ver com o relacionamento de vocês.

Casal sentado em um sofá preto e a parede de fundo é rosada. Ele usa touca bege, camisa branca e colete preto. Ela usa uma blusa listrada de gola alta e magas.
Você  tem o direito de se sentir mal, mas você não merece passar por isso toda vez. Então, tente aos poucos trabalhar na sua autosuficiência. (Reprodução/Pexels)

3- Ciúmes e insegurança

Você começa questionando seu real valor, depois pensa que é uma “sorte” que ele “te escolheu”. Em seguida, passa a ver outras mulheres como potenciais “destruidoras da relação”. Claro que aqui entram questões mais profundas, como a competitividade feminina na nossa sociedade, que precisa ser trabalhada. No entanto, vamos focar hoje em relação a insegurança pessoal.

Em primeiro lugar, esse é um dos motivos que ter autoestima é tão importante. Porque, independente de outras pessoas, você precisa estar ciente de seu valor. Ademais, se ele realmente quiser terminar por ter encontrado outra pessoa, você estará tranquila por saber que sua vida é mais do que um relacionamento e que você já tem o que precisa em si mesma.

Em segundo lugar, preste atenção se essa insegurança está vindo de você, dado que nesse caso é sua autoconfiança que tem que ser trabalhada, ou se está vindo dele. O que eu quero dizer com isso? Que se é ele que está dando atenção para outras mulheres de forma romântica, pois assim, o problema está com ele.

4- Dificuldade em ser você mesma

Uma baixa autoestima pode tornar difícil ser autêntica em um relacionamento. Posto que você acaba se esforçando para ser gostável, vamos dizer assim. Por vezes, fingindo que gosta de certas coisas só para agradar.  Ou sentindo que o que você fala não é interessante, o que não é verdade. Por isso, lembre que você deve ser quem é e se conhecer melhor, e quem realmente for o certo para você vai gostar dessa versão.

Casal sentado no chão comendo e tomando café, um deles está de calça e o outro de bermuda.
Aqui, a chave é o autoconhecimento e ser verdadeira consigo e com os outros. (Reprodução/Pexels)

5- Estar em um relacionamento tóxico

Achei importante trazer este tópico de relacionamentos tóxicos. Pois, até agora eu estava falando sobre as coisas que você pode estar fazendo, mas e o outro? Como ele age? É ele quem está prejudicando sua autoestima e bem-estar?

Como foi dito antes, é necessário reconhecer quando o comportamento inseguro está vindo de si e quando ele está sendo causado pelos comentários e atitudes do seu parceiro.

Ou seja, se ele não demonstra confiança em ti, controla suas amizades. e os lugares em que você vai, invade sua privacidade, entre outros, é preciso tomar cuidado, porque esses são sinais de um relacionamento abusivo.  Afinal, um relacionamento abusivo vai além de agressões físicas. Caso queira saber mais sobre como identificar um, leia o post do site Azmina clicando aqui. Se o caso for de um relacionamento abusivo, procure ajuda, seja com familiares, amigos e até mesmo a policia. Uma baixa autoestima pode fazer você acreditar que merece passar por essas situações, mas não merece.

Como melhorar a autoestima?

Se você percebeu que o problema está na sua autoestima, é preciso trabalhar nela. Algumas dicas são: identifique o que te faz se sentir mal e bem, perceba quando alguns comportamentos começaram, se foi por algum trauma, por exemplo, passe mais tempo sozinha para se conhecer. O mais indicado, é procurar alguém que é especialista, um/a terapeuta. Inclusive, para começar esta jornada, temos um artigo indicando perfis no Instagram de psicólogas que fazem postagens justamente sobre autoestima e relacionamentos.

Já em relação ao relacionamento, comece aos poucos. Como, contando para ele sobre suas necessidades e vontades, para que vocês possam ir se ajustando. Por exemplo, você quer passar mais tempo juntos. Então, combinem de que vão reservar todo sábado para ficarem juntos.

Mulher asiática loira, está de olhos fechados e segurando uma flor vermelha. Seu vestido é vermelho de bolinhas brancas.
Invista seu tempo em você. Como diria aquela frase: é preciso se amar primeiro para amar o outro. (Reprodução/Pexels)

Por hoje ficamos por aqui, me conta o que achou nos comentários. E até a próxima!

Deixe uma resposta