Atualmente, a ideia ocidental sobre casamento, remete ao amor.

Temos a ideia de que nós mesmos devemos escolher com quem nos casar. E só se deveria casar com quem se ama e deseja construir um futuro junto.

Entretanto, não foi sempre assim. Por isso, venha entender melhor como o casamento surgiu e como ele se tornou o que conhecemos.

Casal sentado na escada. Estão com roupa de casamento, ela de véu e vestido segurando um grande buquê, ele de terno e calça cinza escuro.
O casamento de hoje se baseia no amor e respeito entre o casal. (Reprodução/Pexels)

1 – Formar parcerias estratégicas

Por um longo tempo na pré-história, os grupos que conviviam eram grandes e desorganizados.

Isso se deve ao estilo de vida, em que era necessário mudar de local constantemente em busca de alimentos.

Posto que, ainda não sabiam como plantar, até que descobriram a agricultura.

Clicar para conhecer os modelos da Altar Clicar para conhecer os modelos da Altar

A partir daí, os humanos foram ficando sedentários, ou seja, se estabelecendo de forma fixa nos locais.

E assim, a sociedade começou a ficar mais estruturada. As pessoas, ao passarem mais tempo em um só lugar, fez com que precisassem criar laços e acordos.

Em relação a como o casamento surgiu, a primeira evidência é de ter ocorrido uma cerimônia,  que data de 2350 A.C, na Mesopotâmia.

Neste período, da Idade Antiga, o casamento era entendido como uma parceria/aliança entre famílias. Tinha que ser feito de forma estratégica, que trouxesse benefícios econômicos para ambas as famílias.

Por conta disso, era feito de maneira arranjada, em que os envolvidos no casamento não tinham escolha, visto que era decidido pelos pais.

PS: A prática do casamento arranjado não desapareceu. Ainda é algo que acontece em alguns países, grupos ou famílias.

Aperto de mão entre um homem negro e uma mulher branca. Na foto só é possível ver as mãos e que ambos vestem camisa de manga branca.
Inicialmente, o propósito era estratégico, não romântico. (Reprodução/Pexels)

2- Ter herdeiros legítimos

Em seguida, iniciou uma evolução:  o casamento se popularizou entre os hebreus, gregos e romanos.

Os quais tinham como propósito garantir que o filho de um homem era biologicamente herdeiro dele. Tal preocupação era para os bens terem continuidade dentro da família.

Clicar para chamar especialista Clicar para chamar especialista

Nesta época, a mulher era tratada como propriedade do homem, em que seu propósito era só procriar. Tanto que, na Grécia, não era nem tida como cidadã. 

Enquanto isso, era comum que os homens tivessem várias(os) amantes.

Casal sentado em bancos de madeira em frente a um piano. A mulher está tocando o piano, ela veste camisa bufante branca e saia preta. Ele está olhando para trás e tem o braço apoiado na cadeira dela, ele usa chapéu e terno preto.
O objetivo passou a ter filhos para herdar os bens da família. Especialmente, filhos homens. (Reprodução/Pexels)

3- Por motivos religiosos

Quando a Igreja Católica Romana se tornou uma instituição importante da Europa, ter a benção de um padre se tornou um passo necessário para o casamento ser reconhecido legalmente.

No século XVIII, o casamento passou a ser amplamente aceito na Igreja Católica como um dos sacramentos e não apenas um contrato.

Imagem de dentro de uma igreja vazia. É uma fileira de bancos.
O casamento deixa de ser apenas um contrato e passa a envolver questões religiosas. (Reprodução/Pexels)

4 -Por amor

Foi a partir da Idade Média que associação de casamento e amor começou.  Desse modo, não é de se estranhar que é nesse período que se passa a maioria dos contos de fadas.

Mais do que isso, é durante a Idade Média, mais especificamente no século XI,  que tem o primeiro movimento literário que fala sobre romance da mesma forma que entendemos hoje, o trovadorismo.

Clicar para ser atendido pela Altar Clicar para ser atendido pela Altar

Em suma, os trovadores eram artistas portugueses que cantavam cantigas, canções de amor, entre outros temas.

Eventualmente, surgiu a mobilidade social, o que contribuiu para os casais apaixonados ficarem juntos.

Ou seja, você conseguir mudar de classe social, não estar preso a de nascença. Pois, o casamento costumava ser associado com a classe e com os ganhos e status que se podia obter.

Então, houve outras conquistas, como o casamento civil. Onde mesmos os que não seguiam uma religião, ou uma religião cristã, poderiam ter seu casamento oficializado.

No Brasil, só ocorreu em 1890, caso queira entender melhor como aconteceu, clique aqui.

Casal de mãos dadas se olhando, estão passeando em uma estrada de chão. Ele usa óculos, camisa branca, corrente, calça e cinto preto, com uma fivela redonda cinza. Ela usa um vestido acima dos joelhos na cor marrom.
Finalmente, chegamos a parte em que o amor prevaleceu. (Reprodução/Pexels)

De forma geral, foi essa a história de como surgiu o casamento e sua evolução através dos tempos. Se você achou interessante, me conta aqui nos comentários sua opinião.

Quero conhecer as alianças

Comentários (2)

Deixe uma resposta