Aprender detalhes sobre as alianças te auxilia a fazer uma escolha mais certeira do seu par. Por isso, vamos te explicar tudo o que você precisa saber sobre as pedras das alianças: quais existem, os tipos de cravação e lapidação.

Afinal, são vários elementos que compõem uma aliança, para ela chegar no resultado final. Dependendo das mudanças, ela fica com outro efeito.

Além disso, o tipo de pedra e quantos pontos ela tem muda o preço da sua aliança.

Portanto, venha conhecer tudo sobre as pedras das joias.

Bandeja espelhada com anel solitário, brincos e um galho.
Lembrando que se escolher uma aliança com pedras, fica mais trabalhoso ajustar o tamanho tamanho, então aprenda a medir seu dedo antes de comprar. (Reprodução/Unsplash)

Qual a diferença entre diamante, zircônia, strass e cristais?

Antes de tudo, é importante entender quais tipos de pedras existem e qual a diferença entre a qualidade das mesmas.

No mundo das joias, existem: os diamantes, a zircônia, o strass e os cristais.

Sendo que a maioria não sabe totalmente a diferença deles. Pois, alguns desses são semelhantes até na aparência.

Para aprender sobre cada um e poder diferenciar, continue lendo.

Mulher com colar, vesti branco de alça e cabelo preso em coque.
Esse é um bom conhecimento pessoal, na hora de ir as compras. Bem como, é muito conveniente para quem trabalha com joias e semijoias. (Reprodução/Pexels)

Diamante

Para começar, o diamante, ele é uma pedra preciosa de preço elevado.

Mas, não é atoa. Ele é formado por átomos de carbono puro, demora milhões de anos para se formar, e duram para sempre.

De modo que, são resistentes, duros e só podem ser riscados por outro diamante.

Ademais, eles tem um brilho diferenciado e profundo, de modo que consegue decompor a luz branca nas cores do arco-íris.

Par de alianças em ouro amarelo, a da direita tem uma fileira de diamantes. Elas estão em uma caixinha marrom com uma fita escrita Altar Alianças.
Alianças de Casamento Cabo 4mm – Ouro 18K com Pedras de Diamante da Altar Alianças.

Zircônia

Existe a zircônia natural, composta por óxido de zircônio (ZrO2), mas que é rara de se encontrar.

Por isso, a mais comum no mercado é a produzida em laboratório.

A qual tem como objetivo imitar o diamante. Visto que, sua aparência é muito semelhante e só pessoas acostumadas com joias sabem notar as diferenças.

Ademais, ela é normalmente incolor, mas pode ser feita em diferentes cores. E é unissex, então você pode colocar só no seu anel ou no seu e no do seu noivo/marido.

Dessa forma, ela é uma pedra de alto nível, usada em joias e semijoias, mas com um preço mais acessível.

Outras vantagens da zircônia são:

1- Seus formatos

Assim como o diamante, a zircônia tem variedade de formatos.

Exemplo disso, tem o formato de coração, de brilhante, que é a pedrinha redonda. Além de navete, que parece um olho.

Também tem a quadrada e a baguete (que tem um formato de retângulo).

Par de alianças em ouro amarelo, a da frente tem uma fileira de pedrinhas redondas. Elas estão em uma caixinha marrom com uma fita escrita Altar Alianças.
Alianças de Casamento Camarões 4mm – Ouro 18K com Pedras de Zircônia da Altar Alianças.

2- Sua resistência

Na Escala de Mohs, que quantifica a dureza dos metais, o diamante está classificado como 10, já a zircônia com 8,5. Ou seja, ela ainda é altamente resistente a impactos.

Além disso, a zircônia é conhecida por ser resistente a corrosão, o que a faz durar.

Posto que é biocompatível e não é tóxica. Inclusive, ela é usada para próteses dentárias. Desse modo, você sabe que não vai trazer reações alérgicas.

3- A manutenção (Fácil de limpar)

Toda peça precisa ser limpa. A zircônia tem a vantagem de ser muito fácil de limpar em casa.

Se você perceber que a sujou ou que ela não anda tão brilhante, é só pegar um detergente neutro, água morna e uma escova macia e limpar com cuidado, sem forçar muito.

Aliança em ouro amarelo na mão feminina, ela é larga e tem duas fileiras de pedras.
Alianças de Casamento Equador 7mm – Ouro 18K com Pedras de Zircônia da Altar Alianças.

Strass

O strass é uma pedra sintética, inventada no século XVIII, com o objetivo de imitar o diamante.

Por isso, ela tem uma camada refletora, feita de metal, para dar brilho.

Além disso, é produzida a partir de estilhaços de vidros ou fragmentos de plásticos.

Portanto, sua qualidade é inferior as outras mencionadas. Ela pode perder o brilho e se quebrar com facilidade.

Ademais, ela é colada no material ao invés de cravejada. O que significa que ela é mais barata para ser produzia e comercializada, sendo utilizada em bijuterias.

Mulher usando brinco de strass.
O strass requer mais cuidados, não deixe entrar em contato com água. (Reprodução/Pinterest)

Cristais

Há dois tipos diferentes que você pode pensar ao ouvir o nome “cristal”.

O primeiro, é o da foto abaixo, por exemplo, a ametista, o olho de tigre, o quartzo, etc.

Segundo o site Dani Noce, “são substância sólidas formadas pela ‘agregação regular de partículas’ (…) simétricas e perfeitas, que levaram milhões de anos para se formar”.

Atualmente, estão muitos famoso para colocar em casa e usar em colares e pulseiras. Só é preciso ter cuidado para não comprar um falsificado (sendo vendido como verdadeiro).

Enquanto isso, o segundo tipo é o usado nas semijoias. É um cristal feito de vidro, o qual é lapidado depois. Diferente da zircônia que brilha, o cristal é translúcido. Além de que, tem menos resistência que a zircônia.

Colar com cristal.
Esse tipo de cristal da imagem está sendo cada vez mais popularizado nos dias atuais.(Reprodução/Pexels)

O que são cravações nas joias?

Agora que você já viu a diferença entre as pedras, deve ter notado que as mais nobres (diamantes e e zircônias) são cravejadas, enquanto as outras são apenas coladas.

A cravação é o modo de fixar a pedra preciosa na estrutura do metal, o que depende da lapidação (formato da pedra) e de como a peça será feita.

Essa técnica é utilizada em joias e semijoias.

Existem diferentes maneiras de cravar uma pedra, trazendo diversos resultados únicos e realçando a beleza da aliança. Por isso, confira abaixo as mais lindas cravações.

Par de alianças ouro amarelo, sendo que a da direita tem algumas pedras centrais
Alianças de Casamento Gabão 10mm – Ouro 18K com Pedras de Zircônia da Altar Alianças.

Tipos de cravação nas alianças

Cravação Flutuante

Para começar, uma cravação linda e diferente. Conhecida como flutuante ou por tensão, ela faz parecer que a pedra está “solta” e “flutuando no ar”.

Para conseguir esse efeito, é preciso pressões em direções opostas para segurá-la, bem como um processo de forja a frio, para endurecer o metal, fazendo-o segurar a pedra mais forte.

Ademais, como a pedra está exposta na parte da frente e de traz, a luz consegue passar através dela, trazendo um brilho incrível.

Par de alianças, dentro da caixinha, em que uma tem a cravação flutuante
Aqui na Altar temos este modelo flutuante da foto, para adquiri-lo nos contate, seja pelos comentários, WhatsApp ou Instagram.
Clicar para ser atendido pela Altar Clicar para ser atendido pela Altar

Cravação Bigodinho

Em seguida, uma cravação delicada, chamada bigodinho. Para realizá-la, começa fazendo um furo do tamanho da pedra.

Então, encaixa o diamante no espaço formado, e com o buril corta quatro “bigodinhos” na chapa (de metal), de modo que possa levantá-los e colocar eles por cima da gema (para fixá-la melhor).

A pedra, seja na cravação bigodinho ou em qualquer outra apresentada aqui, pode ser tanto um diamante real, quanto um sintético.

Par de alianças de ouro amarelo. Anel com 3 pedras e risco no meio.
Modelo disponível na Altar Alianças, entre em contato para adquirir o seu! (Reprodução/Pexels)

Cravação com garras

Provavelmente, ao assistir filmes americanos você reparou que os pedidos de casamento são sempre feitos com um anel solitário, isto é, um anel fino com uma pedra central.

Esta tradição se tornou forte nos Estados Unidos, principalmente, por causa da joalheria Tiffany, que apresentou em 1886 sua cravação feita de 6 garras que suportam o diamante e o faz parecer flutuar.

O objetivo era que a pedra se destaca-se mais.

Portanto, cada garra é cuidadosamente angulada para segurar firme o diamante (ou a outra pedra em questão). Podendo ter de três até seis garras.

Outro ponto, é que assim como a cravação flutuante, essa cravação permite que a luz atravesse a pedra, refletindo mais brilho.

Anel solitário de metal torcido e pedra central.
O anel de noivado (o solitário) continua acompanhando mesmo após o casamento. É costume em outros países usar o anel solitário e a aliança de casamento ao mesmo tempo, se tornando um combo lindo.

Cravação Granito

Continuando, existe a cravação granito. Ela utiliza o próprio metal da peça para formar as garras.

As quais são redondas e aparentes, formando estas pequenas bolinhas cinzas que você pode observar na imagem abaixo. A pedra fica bem segura.

Ademais, modelos diferentes podem ser feitos com esse tipo de cravação, seja a borda inteira rodeada de pedras, ou apenas uma no centro.

Duas imagens de par de aliança de ouro
Apesar dos exemplos serem com pedras redondas, também é possível fazer a cravação granito com pedra quadrada (conhecida como Princess).

Cravação Trilho

Depois, temos a cravação trilho, também chamada de “carrê” ou “carril”. Se faz um canal no anel, no qual é possível encaixar as pedras.

Ao invés de cada pedra ser segurada por garras, nesse caso as pedras são encaixadas e alinhadas nos trilhos, sendo seguradas pela borda superior e lateral.

Além disso, é possível fazer essa cravação com pedras redondas, quadradas ou retangulares.

Em que o tamanho de cada pedra é muito importante para conseguir caber e ficar harmonioso.

Par de alianças, sendo que a da direita é toda cravejada com pedras

Cravação Pavê

Por último, a cravação pavê, que você possivelmente já viu em brincos, colares e anéis. Seu nome vêm do francês, “pavé”, em referência a época que eles pavimentavam as ruas com paralelepípedos.

Em resumo, as gemas (de mesmo tamanho) são colocadas bem juntas com o mínimo de metal aparente, sendo seguradas por pequenas bolinhas. 

Assim, elas cobrem grande parte da peça de forma contínua.

Desse modo, o anel fica com aparência de que foi “pavimentado” com diamantes.

Aliança única dourada com cravação de pedras no estilo pavê.
Se ao ler que ela tem estas “bolinhas” (pequenas garras) a segurando, você lembrou da granito, elas realmente tem o mesmo estilo de cravar. Inclusive, a granito é considerada uma variação da pavê.

O que são pontos e quilates de diamantes?

Após saber quais cravações existem, chegou a hora de pensar qual tamanho você quer da pedra e em qual formato.

Para isso, você precisa entender sobre os termos “pontos” e “quilates”. Venha aprender conosco!

Anel de noivado cravejado com diamantes
Esses termos foram criados para se referir aos diamantes, porém, atualmente também se usa ao falar das zircônias. (Reprodução/Unsplash)
Clicar para chamar especialista Clicar para chamar especialista

O que são quilates?

O quilate de diamante se refere ao peso das pedras preciosas. Ao invés de usar quilos ou gramas que seriam números grandes, usa-se quilates como forma de medida específica para os diamantes.

Desse modo:
1 quilate = 0,2 gramas

imagem com desenhos de brilhantes em diferentes quilates
Na imagem é possível as numerações de quilates. Porém, não confunda a palavra quilates com kilates. Quilate é o peso do diamante. Kilate é o nível de pureza do ouro. (Reprodução/Tiffany)

Quanto mais pesado, maior o diamante e portanto mais alto o valor. Mas, o importante quando se refere a diamantes é saber cortar a gema para favorecer seu brilho.

Por isso, é importante comprar de lugares confiáveis que tenham bons profissionais.

O que são pontos de diamantes?

Em seguida, há os pontos dos diamantes, que é outra medida de peso.

Para fazer esse cálculo, pode ser através  do diâmetro da aliança, porém ele só indica um valor aproximado.

Então, normalmente é  por meio do peso, ou seja, mede quantas gramas tem, converte para quilates e depois pontos.

1 quilate = 0,2 gramas = 100 pontos

Pois como é comum comprar diamantes menores que um quilate, muitas lojas preferem colocar o número só em pontos, pois assim o número não fica “picado” e fica mais fácil de visualizar.

Exemplo: Meio quilate (0,5 quilate) = 50 pontos

Imagem com diamantes, comparando o tamanho de quilates, pontos e diâmetros.
A abreviação de pontos é pts. Já de quilates é ct. Como é possível reparar na foto, em que tem o peso das gemas tanto em pontos, quilates e diâmetro. (Reprodução/Perfect Diamonds)

Quais os tipos de lapidação de diamantes?

Outro ponto, para você conhecer mais de diamantes, é que eles podem ser cortados em diferentes formatos. O que é conhecido como “lapidação”.

Tipos de lapidação:

  • Lapidação brilhante (redonda)
  • Lapidação princess (quadrada)
  • Lapidação cushion (formato de almofada)
  • Lapidação navete (seu nome significa pequeno barco)
  • Lapidação coração
  • Lapidação gota
  • Lapidação oval
  • Lapidação esmeralda (também chamada de lapidação em degraus)
  • Lapidação radiante (formato retangular com cantos arredondados)
Imagem com diferentes tipos de lapidação de diamantes.
Após lapidar a pedra com um dos formatos da imagem, o joalheiro faz o processo de cravação na aliança ou joia em questão. (Reprodução/Comprajoiasbh)

Quais tipos de pedras usadas em alianças?

Então, até o momento, você já sabe como escolher o formato e o tamanho. Mas qual pedra e cor você quer que ela seja?

Zircônias nas alianças

Para começar, já sabemos o que são zircônias (pedras sintéticas de alta qualidade), mas você sabia que elas podem ter a cor que você quiser?

Desse modo, você escolhe a cor que você acha mais bonita ou que tem um significado especial para você.

Além disso, elas costumam ter um preço super acessível e um brilho incrível. Sendo bastante similares aos diamantes. Podendo ser cortadas em diferentes formatos.

pedras redondas de zircônia em várias cores
(Reprodução/artstones)

Diamantes em alianças

Os diamantes são muito pedidos em alianças de casamento por sua durabilidade e pureza. Além de sua alta resistência a impactos. Sendo requisitados desde a antiguidade.

Em geral, o mais comum são os diamantes translúcidos, que tanto vemos e amamos. Às vezes eles tem alguns tons de amarelo (quando há presença de nitrogênio em sua composição).

Porém, tons diferentes são muito raros de ser encontrados na natureza. Quando são, costuma ter um valor muito mais elevado.

Mas eles existem, como de cor azul, laranja, rosa, vermelho.

Exemplo disso, em 2014 houve um leilão na Austrália de diamantes vermelhos e segundo o site da Uol, eles eram arrematados por 1 a 2 milhões de dólares na época.

Além disso, acrescentam, “os diamantes rosa e vermelhos valem cerca de 50 vezes mais que os brancos. Em 30 anos de leilões anuais, apenas 13 diamantes vermelhos foram postos à venda e há menos de 30 no mundo todo registrados pelo Instituto Gemológico da América”.

par de alianças largo de ouro amarelo com uma pedra central flutuante e uma fileira de pedras embaixo.
Alianças de Casamento Cuaite 7mm – Ouro 18K com Pedras de Diamantes da Altar Alianças.

Esmeralda nas alianças

A esmeralda é uma variação do mineral nobre berilo. Sendo que tem pequenas quantidades de crômio, ferro e vanádio.

Seu verde pode variar de tons mais claros até os mais escuros. Além disso, ela tem significados importantes.

Ademais, os egípcios acreditavam que espantavam o mau-olhado. Mas também há quem acredite que ela ajuda na cura. Outros que ela está relacionado ao amor e a proteção.

aliança solitária com pedra central de esmeralda
Anel solitário com pedra de esmeralda. (Reprodução/Cartier)

Alianças com Rubi

Comumente usada em anéis de noivado por muitos séculos, a Rubi é considerada a pedra do amor e da paixão por sua cor de vermelho intenso.

Além disso, ela é variedade do mineral chamado Coríndon. Tendo alta resistência, com dureza 9 na Escala Mohs.

par de alianças em ouro rosé, todas cravejadas por pedras, sendo que a de cima tem uma grande pedra central de rubi
Alianças em ouro rosé com pedra central de rubi. (Reprodução/Etsy)

Pedras de Moissanita

Outra opção, são as pedras de moissanita. Foi descoberta em 1893, pelo cientista francês Henri Moissan. A partir de um meteorito que caiu na Terra.

Ou seja, essa gema veio de fora do nosso planeta. E o cientista Moissan, ganhador do Nobel em 1906, quis imitar em laboratório essa pedra, para que pudesse ser comercializada.

Dessa forma, a moissanite que é vendida é produzida em laboratório. Alcança a dureza de 9,25 na Escala Mohs, de modo que dura bastante e é resistente.

Sendo outra alternativa, junto com a zircônia, para quem quer uma pedra parecida com o diamante, mas pagando menos.

par de alianças em ouro branco, ambas tem meia volta cravejada por pequenas pedras, sendo que a da esquerda tem no centro uma grande pedra.
Aliança em ouro branco com pedra central de moissanita. (Reprodução/Etsy)

Clicar para ser atendido pela Altar Clicar para ser atendido pela Altar

A classificação de clareza das pedras – Os 4C’s

Outro ponto, ao se escolher as pedras, é avaliar se elas estão em bom estado. No caso das pedras naturais, ao serem formadas elas podem apresentar manchas, por exemplo.

Por isso, o laboratório GIA- Gemological Insitute of Americana classificou quatro métodos para verificar a quantidade de imperfeições de um diamante. O qual é um padrão adotado pelas joalherias.

Confira quais são:

Lapidação (Cut)

Fazer a lapidação é cortar o diamante. Já vimos anteriormente que ele pode ter vários formatos, redondo, quadrado, oval e por ai vai.

Dependendo do corte ele irá refletir a luz de uma determinada maneira. Quanto mais simétrico, melhor o retorno de sua luz. Assim, mais precioso e bonito será. Pois a pedra brilhará mais.

Cor (Color)

Para o diamante ser mais valioso, ele precisa ser o mais transparente possível. Quanto mais amarelado ele estiver, menos ele vale.

A classificação é feita de D até Z. Sendo a letra D os mais transparentes e Z os mais amarelados.

Tabela de classificação da cor dos diamantes. (Reprodução/Poésie)

Pureza (Clarity)

A pureza se refere as machinhas que aparecem no diamante. As quais são chamadas de “inclusões” Quanto maiores forem, menos pura é a pedra.

Elas são classificadas em 5 tipos:

  • Perfeito/Internamente perfeito – FL/IF (Flawless/Internally Flawless)
  • Inclusões muito muito pequenas – VVS1/VVS2 (Very very small inclusions)
  • Inclusões muito pequenas – VS (Very small inclusions)
  • Pequenas inclusões – SI (Small inclusions)
  • Imperfeito – I (Imperfect)

Peso (Carat)

O quilates como explicado anteriormente, é o peso da pedra. Quanto mais quilates tiver, maior é a pedra e mais caro ela será.


O anel solitário – Cultura estrangeira que anda conquistando o coração das noivas brasileiras

Depois dos detalhes técnicos, você deve estar pensando, mas porque essa importância dada as pedras nas alianças?

Bom, é obvio que elas incrementam a beleza do seu par de alianças.

Mas, o que tornou a ideia de ter uma aliança com pedra tão popular é uma história mais antiga.

A história do Anel Solitário

Atualmente, em vários países europeus e nos Estados Unidos é uma tradição dar um anel de noivado no pedido de casamento, o qual é um anel solitário. O anel solitário é uma aliança com uma pedra central.

Essa tradição começou na Inglaterra, em 1947. A companhia De Beers, que escavava diamantes na África do Sul precisava melhorar suas vendas de diamantes.

Por isso, fizeram uma campanha de marketing, que incluía palestras em escolas, estrelas de Hollywood usando anéis com diamantes e falando sobre eles em entrevistas, e principalmente o slogan “Diamantes são para sempre”.

Assim, se tornou um costume dos anéis de noivado irem passando de geração em geração, mostrando que de fato eles eram para sempre, assim como o amor dos casais.

Com o tempo, poder comprar um anel de noivado também demonstrava o poder aquisitivo do noivo. O quanto ele teria para investir nessa nova família a ser formada.

Apesar dessa não ser uma cultura brasileira, pois estamos muito mais acostumadas com as tradicionais alianças de ouro, os anéis solitários andam conquistando mercado aqui também.

Dessa maneira, no Brasil, está se tornando comum no pedido de casamento além das alianças, ter o anel de noivado junto. Afinal, ele complementa a beleza, deixando mais incrível ainda.

Inclusive, aqui na Altar Alianças temos vários modelos de anéis solitários, bem como, podemos fazer um personalizado para você.

Por fim, é importante constar que todas as alianças tem seu valor. Isto é, por representar a história e o amor do casal, elas serão sempre importante para os dois independente de qual pedra será usada.

Desse modo, o que fazemos aqui é te dar o conhecimento sobre as várias características que uma aliança pode ter.

Assim, você pode comprar com consciência e adquirir a que tiver maior qualidade e durabilidade, a partir das sua condições e requisitos.

Enfim, nos deixe saber se restou alguma dúvida e em como podemos te ajudar.

Atendimento Personalizado

Deixe uma resposta