Se você criou um perfil da sua marca nas redes sociais, deve estar procurando meios de fazê-la crescer. Para isso, é preciso aprender um pouco a cada dia sobre marketing digital. No entanto, ao entrar em artigos na internet para ler sobre, você deve ter percebido alguns termos diferentes, com muitas siglas. Por isso, fiz este glossário com palavras básicas das redes sociais, bem como, conceitos de marketing digital explicados. Não só você vai sair daqui sabendo mais, como também pode voltar sempre que quiser para relembrar.

Dicionário aberto com pétalas em cima.
Ao escrever o post anterior, sobre os melhores perfis do insta para aprender criar conteúdo, percebi que muitas palavras que usei são muito comuns no meio digital, mas que há  algumas pessoas não conhecem. Razão pela qual decidir fazer este mini dicionário. (Reprodução/Pexels)

Algoritmo

Já parou para pensar por que aparecem coisas diferentes nas suas redes sociais e no das outras pessoas? Por exemplo, se você usa TikTok e o seu tio também, vocês provavelmente assistem a vídeos diferentes. Mas como se é a mesma rede?

O motivo pelo qual isso ocorre, é que o Google, o Facebook, o Instagram, etc, utilizam um mecanismo para que seu conteúdo seja personalizado. Então, se você curtir muitas fotos de comida, aparecerá cada vez mais fotos e receitas de comida para você. Esse mecanismo usado é chamado de algoritmos.

O algoritmo é uma sequência de operações para a realização de uma tarefa (Ascencio, 1999). Ou seja, dependendo do que você clica, a rede está configurada para ter determinada reação.

Por que você precisa saber disso? Porque o seu conteúdo aparecer ou não para o público depende do algoritmo. Dessa forma, é necessário criar conteúdos bons, com títulos chamativos e fotos de qualidade. Pois assim, as pessoas irão interagir com seu perfil. O que fará sua conta aparecer de forma constante para elas, bem como, pode acabar sendo sugerida para outras pessoas.

Analytics

O Analytics é uma ferramenta de análise de dados do seu usuário. O mais famoso é o Google Analytics, pois ele é gratuito. Desse modo, se você tem um site com seus produtos utilize o Analytics para saber quem é seu público. Desde o estado, o gênero, quanto tempo está passando no site, quais foram os produtores que tiveram mais visualizações, entre outros.

A partir dos resultados que você encontrar, saberá quais estratégias precisa mudar. Por exemplo, vamos supor que você venda maquiagens e sempre considerou seu público como sendo majoritariamente feminino. Por causa disso, no Instagram de sua marca você apenas se direciona a elas. Entretanto, ao utilizar o Analytics descobre que, na verdade, também tem muitas visualizações e compras por parte do público masculino. Será que eles estão comprando para as namoradas ou para eles mesmos? Com essas respostas, você poderá começar a criar alguns anúncios e postagens para eles também.

Imagem de um celular em cima de uma escrivaninha, perto do teclado, do óculos de grau e do café. No celular está um desenho de gráfico e embaixo está escrito "online marketing".
Quanto melhor entender quem é seu público e o que ele gosta, mais fácil fica em criar conteúdo. O Analytics é o que vai te ajudar nesse processo. (Reprodução/Pexels)

Anúncio/Ads

Falando de anúncios, ou advertising (ads) em inglês, chegou a hora de explicar o que são. Assim como, a televisão tem propagandas publicitárias, a internet tem seus anúncios. Eles servem para divulgar um produto e  incentivar a compra.

Em todas as redes sociais existem uma forma de fazer anúncios. Se você faz um no Facebook Ads, será possível selecionar quais públicos verão a publicidade no Facebook.

Bio

Quando você cria um perfil, aparece a opção de se descrever da forma que preferir. Essa parte é chamada de “bio”, pois vem de “biografia“. Normalmente, em um perfil pessoal ficam o lugar onde mora e a idade do usuário. Enquanto em um perfil comercial (ou seja, voltado para o comércio), costuma ter uma descrição do que vende, número para contato e um link do site. Ele é essencial para que seus clientes identifiquem o que é seu negócio e se sintam incentivados a ver o que tem nele.

Segurando o celular, o qual está aberto na conta "pexels" no Instagram.
Logo abaixo da bio ficam os destaques. Que é onde você seleciona os stories postados em pastas por assunto. Por exemplo, “dúvidas frequentes”, “feedback”, etc. (Reprodução/Pexels)

B2B e B2C

A siglas B2B e B2C, se referem a quem é seu consumidor. Se você vende seus produtos para empresas, ou seja, você é um fornecedor, o seu comércio é B2B, que significa “Business to Business”, ” de empresa para empresa”. Porém, se você vende diretamente para os consumidores finais, seu comércio é B2C, que significa “Business to Consumer”, “da empresa para o consumidor”.

Para facilitar, vou voltar no exemplo da maquiagem. Caso você produza batons ou compre eles de algum lugar e venda eles para os clientes que vão usar esse batom, seu comércio é B2C. Contudo, se você vender seus batons para outras empresas e/ou para revendedores, você faz comércio B2B.

Branding

O branding é a gestão da marca. Então, definir qual é a identidade visual (logo, paleta de cores e a tipografia, que é a fonte), o posicionamento da marca, as redes sociais, os tipos de  marketings utilizados, entre outros.

Mulher sentada no chão de pernas cruzadas escolhendo uma paleta de cores.
O branding é importante para criar uma identidade que as pessoas vinculem automaticamente a sua marca. Por exemplo, você pode ver a logo do Mc Donalds e o jingles deles em qualquer lugar e os reconheceria. (Reprodução/Pexels)

Call-to-action

Usualmente, abreviado com CTA, o “Call-to-action” é traduzido como “chamada para ação”. Lembrando as pessoas de interagirem e tomar determinada ação. Como “curta esse post”, “compartilhe”, “clique aqui”.

Click through Rate

Segundo o site Resultados Digitais, o CTR, ou click through rate, é “é o número de cliques dividido pelo número de impressões (visualizações) de um anúncio exibido”. Sendo assim, ele serve para identificar o desempenho do seus anúncios, para você saber como está indo: as pessoas estão vendo seu produto mais que clicando nele? Ou a maioria que vê clica? Se for a primeira opção, você precisará tentar algumas mudanças para mudar essa situação.

Imagem do celular aberto no Instagram. A pessoa está curtindo a foto.
Ao ver siglas e nomes em inglês pode dar um desânimo na hora de aprender. Porém, será extremamente relevante para identificar os problemas do seu negócio e vender mais. (Reprodução/Pexels)

Carrossel

Sabe quando você publica no Instagram mais de uma foto? Que tem como passar para o lado? Então, esse é o carrossel, uma sequência de imagens em um único post.

Uma pesquisa do SocialInsider diz que quando você posta uma única foto, a média de engajamento é 1,74%, quando posta um vídeo, a média é de 1,45%. Mas quando posta carrossel, a média de engajamento sobe para 1,92%. Isso ocorre porque a pessoa tem que parar para passar as fotos e quanto mais tempo ela fica, mais sente vontade de ter alguma reação.

E-book

Os e-books são os livros digitais, que se lê pelo celular, computador, tablet ou kindle. É uma tática muito utilizada para conquistar o público, criando uma conexão. Visto que quando perceberem como o conteúdo é bom, continuarão acompanhando para ter acesso a mais desse conteúdo.

Ebook aberto em um kindle/tablet.
Normalmente, são oferecidos gratuitamente ou como brinde. (Reprodução/Pexels)

Funil de vendas

Quando alguém decide comprar algo, começa a procurar lugares que vendam esse produto. Atualmente, sabemos que as opções são infinitas para se encontrar e com preços variados.

Em cada lugar verá diferentes “soluções” para seu problema e em cada lugar será um potencial cliente, ou seja, um lead. O objetivo que é esse visitante considere e decida por comprar seu produto. Todo esse processo é representado por um funil. O topo é maior, porque tem muitos visitantes, mas o fundo, que é as vendas é menor, posto que nem todos que olham, compram.

Imagem demonstrativa do que é um funil no marketing.
Imagem didática de como funcio um funil. (Reprodução/Znit)

Hashtag

Possivelmente, já viu as famosas hashtags. Elas são acompanhadas por um #. Servem para direcionar sua postagem nas pesquisas, facilitar para que seja identificada pelos algoritmos e pelos públicos também.

Influencer

Um influencer é um “líder de opinião” na Internet. As pessoas o seguem e são influenciadas por ele. Portanto, as marcas costumam fazer parcerias com os influencers, para divulgar seu produto ou serviço. Dado que, o público do influencer confia nele, acreditarão que o produto é bom e que deveriam experimentar também.

Garota posando para foto. Ela tem cabelo violeta e usa blusa de manga longa preta com bolsos.
Os artistas, youtubers que você segue, são influencers, por exemplo. (Reprodução/Pexels)

Insights

Ao alterar sua conta do Instagram de “pessoal” para “comercial”, perceberá que embaixo da sua bio e da suas fotos aparecerá a palavra “Insights” para você clicar. Esse é o lugar que mostra suas métricas, quantas pessoas viram a publicação, quantas curtiram, etc. A meta é que a maior parte das pessoas interajam, para o algoritmo entender que estão gostando do seu conteúdo e divulgá-lo mais ainda.

Leads

O lead é um cliente em potencial (que foi mostrado na parte do funil de vendas), é preciso que sua página seja nas redes sociais ou em um site, esteja bem construída para que esse potencial cliente se torne um cliente de fato, para que ele veja valor na sua marca.

Entregando papel e caneta, como se fosse para a outra pessoa assinar.
Se você voltar para ver o funil, perceberá que ele ainda está no topo, é necessário mais estratégias para conquistar o mesmo. (Reprodução/Pexels)

Persona

A persona é o seu cliente ideal. É quando você decide seu público, o segmenta. Por exemplo, você quer vender roupas para homens de classe média que estão na faixa de seus 20 anos, esse homem é sua persona. Desse modo, os conteúdos e anúncios que você irá produzir serão para “ele”. Entretanto, tem que observar se a maioria dos seus clientes realmente se encaixam nisso, se não, é melhor repensar sua persona e se adaptar.

ROI

Para fazer anúncios, você precisa pagar, o que é um investimento. Para saber se está compensando, é necessário calcular o retorno. É disso que o ROI se trata, significando o “retorno sobre investimento”.

Cartão de crédito/débito na mão enquanto confere no notebook a venda.
Calcular o ROI é calcular o quanto lucrou. (Reprodução/Pexels)

Teste A/B

Quando se começa um negócio ou se lança um produto novo, é preciso testar se o público gostou. Assim também, funciona na Internet. O teste A/B serve para analisar o que você faz que converte em venda. Desde coisas básicas, como posta um stories falando e no outro dia posta no mesmo horário um storie com enquente, qual teve mais respostas e visualizações? Você faz uma publicação no feed com o fundo de uma cor e depois faz com outro fundo, para perceber qual chama mais atenção do pessoal.

Imagem dividida, na esquerda está rosa, com a letra "A" em branco, na direita está roxo com a letra "B" em preto.
Representação simples do que é um Teste A/B (Imagem criada pela Altar)

Engajamento

Toda interação que um usuário tem com seu perfil é um engajamento do mesmo. É um interesse dele pelo que você está mostrando ou falando. As formas de engajar são:  curtir, encaminhar, comentar, responder os stories, tirar print, etc.

Mulher sentada bebendo suco e mexendo no notebook. Ela usa hijab mársala e conunto de roupas xadrez branco
(Reprodução/Pexels)

Foram essas palavras que pensei em explicar. Pois sabendo delas, você já consegue entender muitos textos e se planejar melhor no seu comércio. Se ficou faltando algum termo importante de estar nessa lista de glossário das redes sociais para as marcas, me conta nos comentários!

Deixe uma resposta