Ao chegar na vida adulta, as preocupações com as finanças começam a se intensificar. Nem todos tem a oportunidade e as condições de seguir seus sonhos, como gostariam. Mas, têm a esperança de um futuro melhor. Assim, palavras como independência financeira e liberdade financeira começam a aparecer. Apesar do que muitos pensam, elas não são sinônimos. Por isso, este artigo tem o propósito de te explicar qual é a diferença entre esses dois conceitos.

Mulher no escritório olhando para sua mesa.
Entender a diferença entre os dois, pode te ajudar a se planejar melhor e atingi-los. (Reprodução/Unsplash)

Liberdade financeira

Em suma, ter liberdade financeira é alcançar um certo patrimônio que te deixa estável monetariamente. Ou seja, quando você não tem mais dividas e está preparada para qualquer emergência (imprevistos). Podendo viver de forma tranquila, se precisar viajar ou sair não tem que se preocupar com a quantidade que está gastando.

Dessa forma, apresenta uma autonomia, visto que o dinheiro que tem é o suficiente para pagar suas despesas e ainda sobra para investir em seus hobbies e lazer.

Entretanto, não existem um valor pré-definido que estabelece que você chegou na liberdade financeira. Depende muito do seu padrão de vida e com quantas pessoas você vive.

Para atingir esse patamar, não é algo rápido e simples. Demanda muito planejamento e concessões. Primeiro, faça um planilha com seus gastos atuais, e defina o que pode ou não ser cortado. Em seguida, coloque na planilha quais dividas você ainda precisa quitar, tente renegociá-las. Quando as dividas forem sendo resolvidas, comece uma reserva de emergência. Nesse meio tempo, vá estudando sobre educação financeira, tem conteúdo gratuito na internet sobre, tanto em cursos on-line, e-books, como no Youtube.

Mulher com várias sacolas de compras no braço.
Mesmo quando melhorar de situação, é importante continuar organizando seus gastos, porque o próximo objetivo é conquistar a independência financeira. (Reprodução/Pexels)

Independência financeira

Enquanto isso, a independência financeira é sobre ter um determinado patrimônio que lhe permite viver de renda. Isto é, tem tanto dinheiro reservado que se ficar sem trabalho consegue se manter ainda, sem outra fonte de renda.

Não é necessariamente se aposentar mais cedo. Mas sim, poder escolher em que trabalha, em qual projeto e por quanto tempo. Pois, sabe que se recusar algo não vai te prejudicar. O que leva a uma boa qualidade de vida. Visto que, pode escolher parar algo para passar mais tempo com a família, comprar produtos e alimentos de maior qualidade e afins.

Desse  modo, é preciso se planejar também. Pois, precisará gastar menos do que ganha. Assim, defina qual padrão de vida quer ter e se organize. Ademais, é necessário ter fontes de renda passiva, desde investimentos a criação de cursos e livros.

Por fim, é importante pontuar que existe 3 estágios da independência financeira:  a de curto, médio e longo. Na independência de curto prazo, é quando tem dinheiro para poder viver alguns meses sem sua fonte de renda mensal ou adquira dividas. Já a de médio prazo, é quando ter um emprego não é tão necessário para ter estabilidade financeira, mas ainda faz diferença. Enfim, a chamada independência total é poder viver só de patrimônio acumulado.

Deitado em cima de uma rede de descanso cor creme.
Em relação a aposentadoria mais cedo, precisaria estar no estágio de independência total. Contudo, só de estar independente financeiramente, já consegue uma aposentadoria mais leve. (Reprodução/Pexels)

Em síntese, esses dois conceitos se complementam. A partir de uma liberdade financeira, você tem maior possibilidade de alcançar sua independência financeira. Se ficou alguma dúvida ou tem algo a dizer sobre, deixe nos comentários para podermos conversar!

Deixe uma resposta